Sitio de la Asociación de Universidades Grupo Montevideo

Foto: CET/SES-SC/Divulgação
Foto: CET/SES-SC/Divulgação

Sistema de telemedicina desenvolvido pela UFSC pode ser resposta durante a pandemia

O Senado Federal aprovou o uso da telemedicina durante a pandemia de Coronavírus no Brasil.

O Senado Federal aprovou o uso da telemedicina durante a pandemia de Coronavírus no Brasil na terça-feira, 31 de março. O objetivo é desafogar hospitais e centros de saúde com o atendimento de pacientes a distância, por meio de recursos tecnológicos, como videoconferências. O texto segue para a sanção presidencial. A UFSC já conta com uma ferramenta de telemedicina há 15 anos, atualmente presente em todos os municípios catarinenses e com resultados comprovados. E essa poderá ser a ferramenta essencial neste momento de pandemia.

A proposta do uso do Sistema Integrado de Telemedicina e Telessaúde (STT) da UFSC foi enviada ao Ministério da Saúde pelo senador Dario Berger, de Santa Catarina, como ferramenta nacional para agilização e interiorização da triagem e acompanhamento de pacientes de Covid-19.

Segundo um dos seus criadores e coordenador científico do Sistema, Aldo von Wangenheim, docente do Departamento de Informática e Estatística da UFSC, o STT é um conjunto de tecnologias, processos de trabalho médico, protocolos de exames e condutas clínicas para diagnóstico à distância em larga escala e acompanhamento de pacientes no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS).

São mais de 15 anos de operação e aperfeiçoamento contínuos. Já foram superados muitos obstáculos colocados por desafios do mundo real, e seguimos oferecendo de forma ininterrupta cobertura total no Estado de Santa Catarina”, salienta o docente.

O STT desenvolvido pela UFSC vem sendo executado de forma contínua e ininterrupta em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina desde maio de 2005, tendo recebido apoio da Organização Pan-Americana de Saúde, do Ministério da Saúde, da FAPESC e da FINEP. O Sistema consolida tecnologias e resultados de pesquisas básicas, adaptando-os e testando-os em um grande ambiente prático do mundo real.

Atualmente são mais de 80 mil exames médicos e teleconsultorias médicas por mês. Confira, abaixo alguns números do STT:

  • Mais de 650 instituições de saúde conectadas em Santa Catarina, de postos de saúde a hospitais de alta complexidade;
  • Mais de 100 instituições de saúde conectadas nos estados da Bahia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Tocantins, para os quais o STT oferece alguns serviços;
  • Mais de 55 mil usuários profissionais de saúde, dos quais aproximadamente 35 mil estão em Santa Catarina;
  • Todos os 295 municípios de Santa Catarina atendidos;
  • Mais de 80 mil exames por mês, um total de 9,5 milhões de exames realizados desde 2005.

A telemedicina no SUS

O professor Aldo von Wangenheim conta que a tecnologia utilizada, e muitos dos processos e protocolos utilizados no Sistema  foram desenvolvidos do zero, uma vez que a telemedicina em larga escala no setor público de saúde é uma área tecnológica inexplorada internacionalmente. Desde 1999, a UFSC pesquisa desenvolve pesquisas nessa área. É possível armazenar e enviar exames de imagem das mais variadas modalidades, gerenciar a comunicação entre profissionais de saúde e comportar uma rede com armazenamento central em nuvem.

O STT, desde o início, foi pensado para atender o sistema de saúde pública, é desenvolvido com software livre e não depende de licenças ou grandes custos operacionais”, destaca o professor.

Hoje temos uma instalação do sistema no HU/UFSC onde estamos desenvolvendo uma integração com a instância do AGHU que opera ali.  Além disso temos experiência na integração do nosso sistema a sistemas de prontuário eletrônico: Hoje o sistema é integrado aos sistemas de Prontuário Eletrônico MICROMED utilizados em todos os hospitais públicos de SC através de integração transparente e padronizada via DICOM Worklist e também a sistemas de prontuário legados do HU/UFSC. Uma integração com o e-SUS foi concebida e está em fase de projeto”, informa o pesquisador.

Saiba mais

Site do Telemedicina/Telessaúde
Ferramentas integradas ao STT
Vídeos explicativos sobre o STT